Seja Bem-vindo ao portal da Junta Freguesia de Machico

Igreja Matriz de Machico

Share

Localização: Largo de Nossa Senhora da Conceição / Largo do Município / R. General António Teixeira de Aguiar

Categoria: Edifício Isolado

Tipologia: Arquitectura Religiosa

Protecção: Imóvel de Interesse Público (Dec. 30/762 de 26/9/40)

Descrição: Edifício de planta longitudinal, composta por uma única nave e capela-mor rectangulares, estando orientada liturgicamente. Igreja construída em alvenaria de pedra e cal percorrida por embasamento em cantaria vermelha.

A fachada principal, com cunhais do lado esquerdo, termina em empena de cornija em cantaria com cruz. É rasgada por um portal de arco quebrado em cantaria com cinco colunelos e o mesmo número de arquivoltas. Os capitéis são decorados com motivos vegetalistas e antropomórficos. Encima este pórtico uma bela rosácea em cantaria.

A torre sineira, já do século XIX, possui cinco frestas e uma porta de arco quebrado a Este. Possui, também, quatro aberturas em cantaria clara para os sinos. É rematada por um eirado, com varanda de ferro e cantaria. Sobre este encontra-se um coruchéu piramidal em cantaria vermelha que encerra um relógio.

Na fachada Sul encontra-se um portal de arco quebrado, geminado, com três colunas em mármore branco com capitéis vegetalistas e com óculo no tímpano. Na mesma fachada encontra-se adossada a Capela do Terço, com portal de arco pleno, num barroco contido, encimado por uma janela rectangular em cantaria. Para além da rosácea, o templo apresenta duas frestas manuelinas, para iluminar a nave.

A cobertura da igreja é de duas águas com telha marselha. É de notar a cobertura da Capela do Santíssimo Sacramento, que é de três águas rematada por merlões. Exteriormente apresenta dois contrafortes em cantaria vermelha e uma janela com moldura de pedra tipo alheta, com grade de ferro.

No interior do edifício, ergue-se o coro-alto em madeira, suportado por duas colunas com capiteis compósitos, assentes sobre dois plintos em cantaria cinzenta regional. Entre elas encontra-se a porta guarda-vento com bandeira em leque de vidros coloridos. No lado do Evangelho, de fora para dentro, temos: o Baptistério, que se abre em arco abatido de cantaria com porta engradada de madeira; a Capela do Espírito Santo com arco pleno de cinco arquivoltas, sobrepostas pelas armas do Morgado Sebastião de Morais, que a fundou com o propósito de servir de capela funerária para os seus familiares. Possui abóbada de arestas com a cantaria pintada; a Capela de S. João, instituída pela família dos Capitães – Donatários para servir de jazigo aos seus descendentes. Abre-se em arco ligeiramente quebrado, em cantaria de quatro arquivoltas, terminando a última em carranca. Possui abóbada de cruzaria de ogivas pintadas, cuja chave e bocetes estão pintadas com motivos vegetalistas.

No lado da Epístola temos um altar de arco pleno com frontão curvo interrompido que encerra um retábulo de talha dourada de estilo nacional, tendo no nicho a figura de S. Francisco Xavier. A Capela do Santíssimo Sacramento recorta-se em arco pleno, em cantaria posteriormente marmoreada (escaiola). Possui bem concebida abóbada de cruzaria de ogivas com bocetes pintados com motivos vegetalistas.

Arco triunfal, de volta perfeita, com quatro arquivoltas, de cantaria. É ladeado por dois altares Tardo-Barrocos. Tecto da nave em madeira, de perfil tripartido, pintado e com a Virgem da Conceição ao centro (em trompe l’oeil). Na capela-mor existe um interessante retábulo de talha maneirista tendo ao centro uma pintura alusiva à árvore de Jessé, provavelmente de finais do século XVII, que se retira para dar lugar a um trono. Lateralmente ostenta os quatro evangelistas em nichos. Colateralmente, apresenta um cadeiral em talha polida, também maneirista, com espaldar coroado por uma balaustrada sobre o baldaquino decorado com motivos geométricos. Neste espaldar observam-se as figuras dos apóstolos em óleo sobre tela. Tecto de madeira, de perfil curvo, exibindo ao centro um círculo com dois anjos que seguram uma grinalda.

Época de Construção Inicial: Finais do século XV e princípios do século XVI

Utilização Actual: Cultual

Propriedade: Igreja Católica

Observações: A Igreja Matriz foi mandada construir pela família dos Capitães-Donatários nos finais do Séc. XV. A Capela de S. João ostenta o brasão dos Teixeiras e a Capela do Espírito Santo exibe as armas dos Morais. A Capela do Santíssimo Sacramento foi instituída por Branca Teixeira, uma das filhas do primeiro Capitão – Donatário, e nela se encontrava uma magnífica pintura flamenga, representando a Adoração dos Reis Magos, actualmente depositada no Museu de Arte Sacra do Funchal. Encontra-se, agora, no seu lugar uma réplica desta pintura renascentista.

A Igreja sofreu sucessivas intervenções ao longo dos séculos. A torre sineira foi erguida em 1853, pois a original, provavelmente de gramática tardo-
-gótica, foi demolida por ameaçar ruína.

A pintura do tecto da igreja data de 1933 e é atribuída ao pintor João Fermino.

O Baptistério e o Coruchéu da Torre foram construídos em 1963/1964.

Referência Bibliográfica:
AA.VV. (2001): Roteiro Cultural do Concelho de Machico – Ilha da Madeira, Edição da Câmara Municipal de Machico.
CARITA, Rui (\1992): A Pintura Flamenga na Ilha da Madeira na Época dos Descobrimentos, In No Tempo das Feitorias, Lisboa, MNAA.
CLARA, Isabel Santa (1998): As Árvores de Jessé na Ilha da Madeira, Islenha, N.º 23, Funchal.
CRISTOVÃO, Carlos (1989): Elucidário de Machico, Câmara Municipal de Machico, 3ª edição, Machico.
FRUTUOSO, Gaspar (1968 – 1979): As Saudades da Terra, Ponta Delgada.
GOMES, Fátima Freitas (2002): A Igreja Matriz de Machico. Alguns Contributos para a Memória da sua Construção, ILHARQ, Nº 2, ARCHAIS.
NORONHA, Henrique Henriques de (1996): Memórias Seculares e Eclesiásticas, Funchal.
SILVA, Padre Fernando Augusto da ; MENEZES, Carlos A. (1945): Elucidário Madeirense, III Vol., Funchal.
SILVA, Padre Fernando Augusto da (1946): Subsídios para a História da Diocese do Funchal, Vol. I, Funchal.

Share
Share