Seja Bem-vindo ao portal da Junta Freguesia de Machico

Câmara Municipal de Machico

Localização: Largo do Município / E. R. 212

Categoria: Edifício Isolado

Tipologia: Arquitectura Civil

Protecção: Não Classificado

Descrição: O imóvel possui dois pisos e é de planta quadrangular, com dois corpos colateralmente avançados. É um edifício de influência erudita com algumas características neoclássicas.

A fachada principal tem cinco portas, ao nível do piso térreo, sendo as três centrais mais recuadas, dando, assim, lugar a um pequeno pátio revestido com mármores brancos e pretos num desenho enxaquetado. Encima este pátio um balcão protegido por uma balaustrada.

No piso superior, que é, à semelhança do inferior, organizado simetricamente, existem, nos corpos mais avançados dois janelões geminados, um de cada lado do imóvel, e, centralmente, dando acesso ao balcão, existe um janelão também geminado ladeado por outros dois mais simples. Ainda nos corpos laterais abrem-se mais dois janelões que dão acesso ao balcão.

O corpo central, mais recuado, é rematado por um frontão curvo interrompido onde se inscreve uma esfera armilar encimada por uma coroa (as verdadeiras armas do Município que eram iguais às do Rei D. Manuel I, quando Duque de Beja e Grão-Mestre da Ordem de Cristo).

A fachada Oeste possui ao nível do piso térreo duas portas e quatro janelas com tapa-sóis verdes. No piso superior encontramos três grande janelões semelhantes aos da fachada principal, com uma varanda com guarda de ferro. Lateralmente recorta-se mais dois altos janelões. Em frente desta fachada existe um logradouro calcetado com pedra de calhau limitado por uma balaustrada, onde se inscreve um alto portal de acesso com porta de ferro forjado.

A fachada Este possui treze vãos: ao nível do primeiro piso, quatro janelas com tapa-sóis verdes, duas portas e duas gateiras engradadas; ao nível do segundo piso, cinco janelas também com tapa-sóis verdes. Em frente desta fachada desenha-se o Jardim Municipal, com caminhos calcetados a calhau rolado, onde se destaca uma coralina abissínia e uma sumaúma.

Superiormente todo o edifício é percorrido por uma cimalha curva sobrepujada por uma platibanda lisa.

Os tectos são de masseira com uma única cobertura de quatro águas em telha marselha.

O desenho enxaquetado do chão da varanda porticada prolonga-se para o interior do edifício. O “hall” possui duas colunas, de gramática neoclássica, pintadas de branco, e que foram outrora marmoreadas (escaiola). Neste “hall” abrem–se seis portas para divisões colaterais, e parte uma larga escadaria, em madeira, com um lanço central e dois lanços laterais simétricos que dão acesso a uma galeria superior de distribuição. A iluminação deste espaço é efectuada por amplos janelões em arcos de volta perfeita, de alturas diferentes a partir do vão central.

O imóvel dos Paços do Concelho é construído em alvenaria de pedra rebocada e pintado de branco, excepto as molduras dos vãos, embasamento, cimalha, consola da varanda e balaustrada que são pintadas de cinzento escuro.

De salientar ainda que o Salão Nobre apresenta, desenhado nas paredes, uma arquitectura falsa reproduzindo uma linguagem de influência neoclássica.

Época de Construção Inicial: Séc. XX (1929)

Utilização Actual: Câmara Municipal de Machico

Propriedade: Pública

Proposta Preliminar de Classificação no inventário realizado
: Imóvel de Interesse Público

Observações: Edifício de linguagem ecléctica com referências neoclássicas.

Em meados dos anos 80 do Séc. XX o edifício sofreu algumas alterações desajustadas. O chão do “hall”, em ladrilhos brancos e pretos, foram substituídos por mármores da mesma tonalidade e neste espaço, como na escadaria, colocou-se um lambril de azulejos sem qualidade. Os tectos, exceptuando o de masseira do Salão Nobre, que deveriam ser em estuque foram substituídos por tectos falsos em plástico imitando madeira com motivos vegetalistas que destoam com a linguagem do conjunto.

No arranque da escadaria havia lateralmente duas esculturas de gosto neoclássico que, entretanto, desapareceram.

Referência Bibliografia:
CRISTOVÃO, Carlos (1989): Elucidário de Machico, Câmara Municipal de Machico, 3ª edição, Machico.

Partilhar